Alemanha pede para não misturar ataques com crise migratória

Reunião do gabinete de crise do governo alemão decidiu aumentar a presença policial e reforçar o controle das fronteiras

O ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, apelou hoje (14) para que não seja feita uma ligação entre os atentados de sexta-feira em Paris e a crise migratória que a Europa enfrenta.

“Quero fazer este apelo urgente para que se evite estabelecer ligações rápidas com a situação relativa aos refugiados”, disse o ministro, frisando que já houve “um nível chocante de ataques contra candidatos a asilo e centros de acolhimento de refugiados”.

O ministro falou após uma reunião do gabinete de crise do governo alemão, na qual foi decidido aumentar a presença policial e reforçar o controle das fronteiras, assim como monitorar de perto os grupos de extrema-direita no país.

A Alemanha é uma dos países que mais refugiados deverá acolher este ano – perto de 1 milhão – e o significativo aumento da chegada de migrantes ao país intensificou os ataques contra os mesmos perpetrados por grupos xenófobos.

Pelo menos 128 pessoas morreram e 300 ficaram feridas nos atentados terroristas ocorridos na sexta-feira à noite em Paris.