Alemanha paralisa todas as vendas de armas à Arábia Saudita

Medida ocorreu após o assassinato do jornalista dissidente saudita Jamal Khashoggi no consulado desse país em Istambul

Berlim – O Ministério de Economia da Alemanha anunciou nesta segunda-feira a paralisação de todas as vendas de armas e equipamentos de defesa à Arábia Saudita, inclusive as já aprovadas por Berlim, em reação ao assassinato do jornalista dissidente saudita Jamal Khashoggi no consulado desse país em Istambul.

Esta decisão contempla a já tomada pelo Governo alemão no final de outubro, após ser revelado o envolvimento de Riad no assassinato do jornalista, e pela qual suspendeu qualquer nova autorização de exportação de armamento ao país árabe.

Além disso, advertiu que seriam revisadas as permissões já concedidas.

Um porta-voz do Ministério de Economia afirmou em um encontro ordinário com veículos de imprensa que entrou em contato com as empresas que tinham obtido permissão de exportação à Arábia Saudita.

A mesma fonte acrescentou que foram usados “distintos instrumentos” para bloquear essas exportações com permissão, mas alegou que por motivos legais não podia explicar no que consistiam.

O Ministério de Economia fez este anúncio pouco depois que o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, informou que seu país proibiu a entrada de 18 cidadãos sauditas pelo suposto envolvimento na morte de Khashoggi.

Trata-se dos 15 agentes que foram identificados como integrantes do comando que assassinou Khashoggi e de outros três suspeitos de terem participado na organização do crime.

A proibição é aplicável para todo o espaço Schengen e foi estipulada com a França e o Reino Unido.