Alemanha estuda enviar drones para monitorar Ucrânia

O governo alemão estuda disponibilizar drones para monitorar cessar-fogo no leste da Ucrânia

Berlim – O governo da Alemanha estuda colocar à disposição da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) drones para monitorar o cessar-fogo no leste da Ucrânia, para onde viaja nesta terça-feira uma equipe de quatorze especialistas das Forças Armadas alemãs.

O objetivo desse grupo, composto por técnicos, especialistas em logística e pessoal médico, é analisar, junto a uma equipe francesa, as necessidades dessa missão de aviões não tripulados, informou em comunicado o Exército alemão.

Alemanha e França firmaram um acordo durante a última cúpula da Otan, realizada no País de Gales, para responder aos requerimentos da OSCE e apoiar com drones não armados a missão de observação que a organização realiza no leste da Ucrânia para comprovar se os separatistas pró-Rússia e o Exército ucraniano respeitam o cessar-fogo.

É previsto que a equipe alemã permaneça na zona de três a cinco dias para definir o que uma missão desse tipo exigiria, as medidas de proteção necessárias e o apoio sanitário e logístico que seria preciso desdobrar.

A missão de exploração está sendo conduzida pela direção da OSCE, segundo o Exército Alemão. Os militares, que irão com uniforme, mas desarmados, têm como objetivo estudar um eventual desdobramento nos arredores de Lugansk.

A operação foi elaborada em coordenação com o governo francês e a direção da OSCE, que manifestou o desejo de os drones sobrevoarem a região em duas ou três semanas.

Os aviões não tripulados alemães que participariam desta operação seriam do tipo “Luna”: máquinas de 40 quilos e 2,36 metros que podem ser equipados com até sete câmeras para filmar e fotografar uma região enquanto são controladas do solo.

Com energia para voar com seis horas de autonomia, os drones podem chegar a cinco mil metros de altura e alcançam uma velocidade máxima de até 160km/h.