Al Jazeera exibe supostos mercenários a serviço de Kadafi

Segundo a TV do Catar, líderes da revolta popular interrogaram os militares estrangeiros

Cairo – A emissora catariana “Al Jazeera” exibiu nesta terça-feira imagens de supostos mercenários de países do leste da África que participaram da repressão às manifestações contra o regime de Muammar Kadafi.

Os militares estrangeiros, de países como Sudão, Chade e Somália, foram detidos na cidade oriental de Benghazi, que ficou sob controle de forças da oposição e que na segunda-feira foi atacada por aviões e tropas leais a Kadafi.

As imagens mostravam passaportes e documentos estrangeiros, além de várias pessoas com roupas de civil.

Algumas das pessoas tinham gazes na cabeça por terem sofrido ferimentos ao ser detidas.

Segundo a “Al Jazeera”, os estrangeiros chegaram a Benghazi em dois aviões e nesta terça-feira estavam sendo interrogados por líderes da revolta popular que culminou com o controle de Benghazi.

A emissora também revelou que advogados de Benghazi se ofereceram para defender os estrangeiros.

Fontes da oposição acusaram o regime de Kadafi de usar mercenários estrangeiros para reprimir os protestos que tiveram início na semana passada para pedir a renúncia do líder líbio.

As imagens exibidas nesta terça-feira seriam a primeira prova dessas acusações.