Al-Jazeera esvazia escritório em Gaza após ser atacada

Escritório se situa no décimo primeiro andar de um edifício situado no centro da cidade de Gaza, que abriga meios de comunicação locais e internacionais

Gaza – A rede de televisão Al-Jazeera esvaziou seu escritório em Gaza depois de ser alvo de tiros nesta terça-feira, declarou a emissora, com sede no Catar, que responsabilizou Israel pela segurança de seus funcionários.

“Dois disparos muito precisos foram disparados contra nosso imóvel”, declarou a jornalista da Al-Jazeera em Gaza, Stefanie Dekker, citada pelo site em inglês da rede.

O escritório se situa no décimo primeiro andar de um edifício situado no centro da cidade de Gaza, que abriga meios de comunicação locais e internacionais, assim como apartamentos.

Os funcionários da rede e várias famílias palestinas, que encontraram refúgio após os bombardeios israelenses de domingo em Shejaiya, esvaziaram o edifício.

A rede do Catar declarou ser vítima de uma campanha hostil em Israel por sua cobertura dos ataques aéreos israelenses contra a população civil na Faixa de Gaza, que deixou mais de 600 palestinos mortos desde o dia 8 de julho.

Em seu site, a Al-Jazeera cita o ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, que defendeu na segunda-feira que a rede de televisão seja impedida de trabalhar em Israel, já que “não realiza um trabalho jornalístico, mas uma lavagem cerebral”.

O Catar, próximo ao movimento islamita Hamas, financia a Al-Jazeera.