Ajuda militar dos EUA contra ebola é exemplo a ser seguido

Declaração foi feita pela presidente da Libéria, um dos países mais atingidos pela epidemia

Monróvia – A presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, comemorou nesta quarta-feira a decisão de seu colega americano, Barack Obama, de apoiar militarmente a luta contra o ebola em seu país.

A decisão de Obama deve servir de exemplo para o resto da comunidade internacional, explicou.

“O anúncio ontem (terça-feira) por parte do governo dos Estados Unidos de uma ajuda militar direta é um momento significativo na batalha contra o ebola”, afirmou Sirleaf em um comunicado.

“Esperamos que esta decisão dos Estados Unidos incite o resto da comunidade internacional a agir”, acrescentou.

“Esta doença não é apenas um problema liberiano ou da África ocidental. A comunidade internacional em seu conjunto deve se interessar para que esta crise seja resolvida”, insistiu a presidente da Libéria, de longe o país mais afetado pela epidemia.

“Não descansarei até que tenhamos vencido o ebola. Minha mensagem aos liberianos é simples: estamos contra-atacando”, declarou.

O presidente Barack Obama pediu na terça-feira uma ação rápida contra a epidemia para evitar que centenas de milhares de pessoas sejam contaminadas pelo Ebola, contra o qual a ONU mobilizará 1 bilhão de dólares.