Air China é acusada de dar conselhos racistas a passageiros

"Estou consternado de ver que ainda hoje há pessoas capazes de fazer afirmações tão claramente falsas e racistas", declarou parlamentar britânico

O deputado britânico Virendra Sharma acusou a companhia Air China de fazer recomendações “racistas” a seus passageiros que visitam Londres, sugerindo a necessidade de uma prudência especial nos bairros habitados por indianos, paquistaneses e negros.

“Em geral, Londres é um destino seguro. É necessário, porém, ser precavido em caso de visita às zonas habitadas principalmente por indianos, paquistaneses, ou pessoas negras”, afirma a revista “Wings of China”, publicação dessa companhia aérea.

“Aconselhamos os visitantes a não saírem sozinhos à noite, e as mulheres, a sempre irem acompanhadas”, acrescenta a revista, o que motivou a denúncia do deputado Virendra Sharma.

Originário da Índia, ele imigrou para o Reino Unido nos anos 1960.

“Estou consternado de ver que ainda hoje há pessoas capazes de fazer afirmações tão claramente falsas e racistas”, declarou o parlamentar em um comunicado.

Ele disse ter exigido, por meio da embaixada da China, que a companhia peça desculpas publicamente e retire a publicação de seus aviões.