AIEA reage com silêncio à saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã

Agência Internacional de Energia Atômica é o organismo responsável por verificar o acordo nuclear de 2015

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) – encarregada de verificar o acordo nuclear com o Irã – decidiu, por enquanto, não reagir ao anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar seu país do pacto multilateral.

Fontes da AIEA, um organismo técnico que mede cada palavra de suas declarações para não ser acusado de parcialidade, indicaram hoje que não publicariam nenhuma reação nas próximas horas.

A AIEA vem ratificando desde janeiro de 2016 o cumprimento dos compromissos nucleares do Irã no marco do acordo que Trump acaba de abandonar hoje.

“Hoje anuncio que os Estados Unidos se retirarão do acordo nuclear com o Irã (…). Voltaremos a impor o nível mais alto de sanções econômicas”, disse o presidente americano em uma declaração na Casa Branca.

Com sua decisão, Trump rompe o histórico acordo que tinha sido assinado com o Irã em julho de 2015 pelo governo americano anterior, de Barack Obama, junto com outras cinco grandes potências: Rússia, China, Alemanha, França e Reino Unido.

A próxima avaliação do AIEA sobre o cumprimento iraniano do acordo será entregue aos países-membros do organismo dentro de duas semanas.

No último dia 1 º de maio, a AIEA havia reiterado que “não existem indícios críveis de atividades no Irã relevantes para o desenvolvimento de explosivos nucleares depois de 2009”.

Por sua parte, o diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, repetiu em várias ocasiões que, se o acordo fracassasse, “seria uma grande perda para a verificação nuclear e o multilateralismo”.