AIEA confirma que Irã está cumprindo acordo nuclear

O pacto inclui um plano de ação que estabelece o progressivo e condicionado fim das sanções ao regime iraniano

Madri – O diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, afirmou nesta terça-feira em Madri que “o Irã está aplicando os diferentes elementos do compromisso nuclear” assinado com as potências ocidentais.

Amano, que discursou hoje em um colóquio realizado na Casa da América e intitulado “Átomos para a Paz e o Desenvolvimento”, afirmou que a documentação enviada pelo Irã e compilada até o momento pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) vai na direção do acordo.

Em 14 de julho o Irã e o G5+1 (os cinco países-membros permanentes do Conselho de Segurança e a Alemanha) chegaram a um um acordo para conter o programa nuclear do Irã e desarticular seu possível desvio militar.

O pacto inclui um plano de ação que estabelece o progressivo e condicionado fim das sanções ao regime iraniano.

Em 15 de dezembro, a AIEA deve publicar um relatório que avaliará as possíveis dimensões militares do programa nuclear iraniano.

“Não se trata mais de esclarecer o que foi feito no passado, mas agora o Irã deve ser o mais claro possível e nos apresentar nossa avaliação”, disse o diretor-geral da AIEA.

“Esperamos respostas em 12 âmbitos e já estamos nos momentos finais. Depois o Conselho de governo da AIEA se reunirá e tomará uma decisão”, disse Amano.

Segundo o diretor-geral da AIEA, os eventos após o acordo de julho se sucederam com normalidade: “em 15 de agosto Irã tinha que apresentar por escrito sua avaliação do pacto e o fez, o Irã também cumpriu com as reuniões técnicas e foram tiradas amostras até 15 de outubro”.

Tudo isso, junto com os dados recolhidos, segundo Amano, permitirão à AIEA terminar até 15 de dezembro o relatório sobre as possíveis dimensões militares do programa iraniano.

Enquanto isso, e à medidas que o Irã aplique as primeiras ações estabelecidas no Plano de Ação que entrou em vigor em 14 de outubro, ficarão sem efeito as resoluções do Conselho de Segurança da ONU que determinaram as sanções contra Teerã.