Ahmadinejad mantém enriquecimento de urânio a 20%

Lei aprovada no Parlamento iraniano determina que o país só obedeça às indicações da AIEA que estejam dentro do Tratado de Não-Proliferação Nuclear

Teerã – O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, ordenou hoje a aplicação da lei aprovada no Parlamento que proíbe o Governo de fazer colaborações além do marco do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) e seguir com o enriquecimento de urânio ao nível de 20%.

Segundo a agência pública iraniana de notícias “Irna”, esta lei obriga a rejeição de qualquer colaboração com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que esteja fora do escopo do TNP.

Esta lei, aprovada recentemente pelo Parlamento iraniano, também obriga o Governo a manter as atividades de enriquecimento de urânio a 20% “para produzir combustível nuclear para o reator científico de Teerã”.

Além disso, o artigo 4 dessa lei pede ao Governo represálias contra qualquer país que inspecione os navios iranianos em cumprimento das novas sanções internacionais contra o Irã.

A República Islâmica mantém uma disputa com a comunidade internacional por não suspender as atividades de enriquecimento de urânio. Potências ocidentais suspeitam que elas tenham fins militares, o que é negado por Teerã.

Leia mais: Irã iniciará operações da Usina de Bushehr

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter