Água de rio chega a Pequim em maior transposição da história

A transposição sul-norte é uma das obras públicas mais ambiciosas da China. Por suas enormes dimensões, foi comparada à construção da Grande Muralha

Pequim – A água do Yang Tsé chegou neste sábado em Pequim na culminação da primeira das três rotas previstas na maior transposição do mundo, que leva água desde o úmido sul até o seco norte da China.

O leito do rio mais longo da Ásia e terceiro do mundo começou a fluir por Pequim, Tianjin e outras cidades do norte do país justo no dia do 12º aniversário do início das obras desta gigantesca obra de engenharia.

Com sua chegada à capital chinesa, a água do Yang Tsé completou a viagem que começou desde o sul da China no último dia 12 de dezembro, quando começou a transposição, e percorreu 1200 quilômetros em 15 dias.

A partir de agora, Pequim receberá um fluxo adicional de água que se espera alivie a forte pressão hídrica, embora não seja suficiente para solucionar seus problemas de abastecimento, explicou o responsável pelo projeto na capital, Sun Guosheng, à agência oficial ‘Xinhua’.

Em 2015, a capital chinesa contará com 800 milhões de metros cúbicos vindos do Yang Tsé, que, quando a infraestrutura funcione em pleno rendimento, proporcionará um bilhão de metros cúbicos anuais à cidade.

A transposição sul-norte é uma das obras públicas mais ambiciosas da China, que, por suas enormes dimensões, foi comparado com a construção da Grande Muralha.

Idealizada em 1952 pelo então líder chinês Mao Tsé-tung, as dificuldades técnicas do projeto atrasaram sua aprovação em quase meio século.

Esta infraestrutura busca abastecer a parte norte do país, que sofre abundantes secas, com água da metade meridional, que é frequente cenário de inundações.

O custo total da transposição estima-se que tenha sido de cerca de US$ 81 bilhões, o triplo que outro famoso projeto hidráulico chinês, a hidrelétrica das Três Gargantas.

A rota intermediária do projeto do Yang Tsé inaugurada hoje, é um canal de mais de 1.200 quilômetros de extensão que conduz as águas do rio, partindo de seu curso médio, até Pequim, Tianjin e as províncias de Hubei, Henan e Hebei,

A segunda rota, a oriental, transferirá as águas do curso inferior do rio Yang Tsé através de um canal de mil quilômetros até a planície do rio Amarelo, o Huaihe, o Haihe e a província de Shandong, e a terceira rota partirá do curso superior e chegará às províncias do noroeste da China.EFE

avc/cd