África do Sul: debandada

A crise política na África do Sul tem atravancado a economia local. Esta semana, ministros pediram a renúncia do presidente Jacob Zuma, acusado de 783 crimes de fraude, corrupção e extorsão. No Congresso, o processo de impeachment não avança porque o líder têm maioria. Os escândalos recorrentes afastam os investidores – em setembro deste ano, o índice de confiança nos negócios chegou ao nível mais baixo desde que Zuma assumiu o poder, de acordo com a Câmara Sul-Africana de Comércio e Indústria (Sacci, na sigla em inglês).

O PIB este ano deve avançar irrisórios 0,5% e não deve crescer mais do que 2% no ano que vem. O que está salvando a economia são fatores que variam ao sabor da sorte: este ano, as chuvas vão garantir uma produção de milho 35% mais farta; a moeda em baixa vai atrair 20% mais turistas. Um potencial que não deve se destravar enquanto o jogo político continuar sujo. Confira, abaixo, a evolução do índice de confiança dos investidores ao longo do mandato de Zuma.