África do Sul contesta pedido de prisão para líder sudanês

O presidente Bashir, que participa de cúpula da União Africana, é acusado em um mandado de prisão do TPI por crimes de guerra e crimes contra a humanidade

Pretória – A África do Sul vai recorrer nesta segunda-feira contra um pedido judicial para forçar o governo a prender o presidente sudanês, Omar al-Bashir, que foi indiciado pelo Tribunal Penal Internacional, informou o Ministério da Justiça.

Bashir, que está na África do Sul participando de uma cúpula da União Africana, é acusado em um mandado de prisão do TPI por crimes de guerra e crimes contra a humanidade por conta de atrocidades cometidas no conflito de Darfur.

O juiz Hans Fabricius proibiu no domingo a saída de Bashir da África do Sul até decidir sobre um pedido judicial de um grupo de direitos humanos, que pede a prisão do presidente.

O governo da África do Sul desafiou a decisão da corte porque deu imunidade a Bashir e a todos os outros delegados participantes da cúpula africana.

Autoridades do Sudão informaram que a ordem judicial “não tem valor” porque Bashir foi convidado pelo governo sul-africano e informou que o presidente iria deixar o país nesta segunda-feira.