Ação de retirada de manifestantes em Hong Kong tem 12 presos

Centenas de agentes estão há cinco horas tentando controlar o trecho de uma rua na qual muitos manifestantes resistem a deixar suas posições

Hong Kong – Pelo menos 12 pessoas foram detidas durante a retirada dos manifestantes pró-democracia de uma das áreas ocupadas em Hong Kong, no bairro operário de Mong Kok, onde a situação é tensa nesta terça-feira, com vários enfrentamentos entre policiais e manifestantes.

Centenas de agentes estão há cinco horas tentando controlar o trecho de uma rua na qual muitos manifestantes resistem a deixar suas posições, como constatou a Agência Efe.

Os confrontos com os agentes se intensificaram depois das 15h locais (5h de Brasília), quando a polícia fez sua última advertência para que os manifestantes desocupassem os 100 metros de uma rua do bairro de Mong Kok.

Em seguida, os agentes começaram a prender vários manifestantes e a empurrar à multidão para outras ruas próximas.

A ação de retirada começou durante a manhã e, no primeiro momento, os manifestantes não resistiram fisicamente à operação, mas gritando frases como “queremos voto universal”.

Na medida em que a polícia e os oficiais de justiça continuavam com a remoção, a tensão entre os manifestantes e as autoridades foi crescendo.

A ação de hoje obedece a uma ordem judicial do Tribunal Superior de Hong Kong, que autorizou a ação da polícia para eliminar os obstáculos em uma das ruas tomadas pelos manifestantes no populoso bairro.

Essa decisão judicial chegou após um processo interposto por dois grupos de taxistas e uma empresa de ônibus, que alegaram que seus negócios estão sendo afetados pela interrupção do trânsito na área.

A operação de Mong Kok, considerada de alto risco, deve continuar ao longo de toda a semana, com a remoção de mais barricadas instaladas em diferentes ruas do bairro.