Academia de Ciências do Cairo sofre novo incêndio

Cairo – A prestigiada Academia de Ciências do Cairo, nas imediações da Praça Tahrir, foi incendiada após receber o impacto de coquetéis molotov durante confronto entre manifestantes e policiais.

Soldados da Defesa Civil tentam sufocar as chamas no edifício, enquanto milhares de pessoas se manifestam em frente a um dos muros instalados pelo Exército na rua Qasr el Aini, que chega até a praça, informou a agência oficial “Mena”.

Os distúrbios começaram ontem à noite, quando os manifestantes tentaram derrubar vários blocos de uma das barricadas colocadas nessa rua, algo que voltaram a tentar em repetidas ocasiões ao longo dessa quinta-feira.

Pelo menos cinco policiais ficaram feridos hoje pelas pedras lançadas contra eles pelos manifestantes, segundo o Ministério do Interior.

Amanhã será celebrado em Tahrir o segundo aniversário da revolução que acabou com o regime de Hosni Mubarak em 2011, que será lembrado com uma concentração convocada pela oposição contra o presidente do país, Mohammed Mursi, e a Irmandade Muçulmana.

A Academia de Ciências já sofreu um incêndio em dezembro de 2011, durante distúrbios entre os revolucionários e a Junta Militar, e o Governo egípcio pediu ajuda internacional para restaurar o local e suas obras.

O edifício, construído no início do século XX apesar de a Academia ter sido criada por Napoleão Bonaparte em 1798, abrigava 200 mil volumes, além de antiguidades, mapas e manuscritos.