A.Saudita usou dublê para ocultar morte de Khashoggi, diz CNN

As imagens mostram um funcionário saudita, que fazia parte da equipe que supostamente matou Khashoggi, deixando o consulado usando as roupas do jornalista

Washington – O governo da Arábia Saudita tentou ocultar o desaparecimento de Jamal Khashoggi no consulado do seu país em Istambul com uma pessoa vestida como o jornalista saindo do edifício, de acordo com um vídeo divulgado nesta segunda-feira por meios de comunicação americanos.

Nas imagens, divulgadas pela emissora “CNN”, é possível observar um dos funcionários sauditas, que fazia parte da equipe de segurança de 15 membros que supostamente matou Khashoggi, abandonando o consulado vestido com as roupas do jornalista do “The Washington Post”.

Esta suposta montagem supostamente tinha o objetivo de demonstrar que o desaparecido deixou o consulado sem problemas; no entanto, além da vestimenta, o indivíduo que sai do edifício é claramente outra pessoa, como se pode observar em um plano frontal no qual se vê seu rosto com clareza.

As imagens procedem de diversas câmeras de segurança situadas nos arredores da legação diplomática saudita em Istambul.

O homem nas imagens, segundo a emissora de notícias americana, é Mustafa al Madani e seria um dos membros da equipe de 15 cidadãos sauditas que chegou a Istambul em dois aviões e visitou o consulado do país árabe no mesmo dia em que Khashoggi foi visto pela última vez entrando na legação.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou no domingo que amanhã, terça-feira, revelará “detalhes” sobre a investigação turca da morte do jornalista saudita e deu a entender seu desacordo sobre a versão dos fatos dada por Riad, na qual Khashoggi morreu supostamente em uma briga acidental no consulado.

Segundo meios de comunicação turcos, Khashoggi foi executado por um comando de agentes sauditas próximos ao príncipe herdeiro, Mohammad bin Salman, que viajaram para Istambul no próprio dia 2 de outubro.