A repercussão dos atentados do Estado Islâmico na França

14/11/2015 – 21:54

Gráfico mostra gravidade dos ataques de ontem

Pascal Riché, diretor do Nouvel Observateur, postou em sua conta no Twitter um gráfico que compara as vítimas dos atentados terroristas sofridos pela França na história recente.

Em vermelho, as vítimas fatais. Em verde, as pessoas feridas.

14/11/2015 – 21:27

Primeiro Ministro da França: “Devemos aniquilar os inimigos”

Em entrevista ao programa noturno TF1, o primeiro ministro francês Manuel Valls foi categórico.

Disse que a França está “em guerra” com o terrorismo e que o país deverá tomar medidas excepcionais por causa dos ataques.

“Nós vamos agir, nós vamos atacar, vamos atacar esse inimigo e destrui-lo”, disse.

“Devemos aniquilar o inimigo da república, expulsar todos esses radicais. Não haverá descanso para aqueles que estão atacando o nosso espírito da República”, completou.

Eleições regionais estão planejadas para acontecerem na França entre 6 e 13 de dezembro. Ele garantiu que elas não serão adiadas.

14/11/2015 – 20:15

Ataques sangrentos de Paris revelam ‘próxima fase’

Para especialistas estrangeiros, os ataques de ontem em Paris assustam, pois anunciam uma “nova fase” nas ações do Estado Islâmico.

Antes, o grupo estava focado em ataques na Síria e Iraque, onde conquistaram territórios e fundaram o chamado “califado”.

Agora, o grupo poderá acionar sua ampla rede internacional de colaboradores e militantes para promover ataques no Ocidente.

Ataques sangrentos de Paris revelam ‘próxima fase’ do EI

14/11/2015 – 19:45

Museus de Paris estão fechados

Os museus mais importantes de Paris – entre eles Louvre, D’Orsay, Rodin, Picasso e Pompidou – estão fechados para visitação. No domingo, a medida de segurança continuará em vigor.

As portas fechadas também representam o luto às vítimas dos ataques.

O Ministro da Cultura e da Comunicação anunciou que todos os museus e universidades que estão na Île-de-France, região de controle de Paris, ficarão fechados por ao menos mais um dia.

14/11/2015 – 18:49

O que se sabe sobre os terroristas neste momento

Um dia depois que uma onda de atentados deixou 129 mortos em Paris, a polícia francesa começa a juntar as primeiras peças do quebra-cabeça por trás do pior ataque da história da França desde a Segunda Guerra Mundial.

Tudo o que se sabe sobre os terroristas que atacaram Paris

14/11/2015 – 18:15

Pianista toca ‘Imagine’, de John Lennon, em local de ataque

Um homem ao piano apareceu de repente em frente ao Bataclan, um dos locais dos ataques, e começou a tocar “Imagine”, famosa canção de John Lennon que virou símbolo do pacifismo.

Pianista toca ‘Imagine’, de John Lennon, em local de ataque

14/11/2015 – 17:16

Bélgica prende suspeitos de atentados

Molins confirmou a informação de que um carro preto estacionou na frente da sala de concertos Bataclan pouco tempo antes dos início do ataque que deixou 89 pessoas mortas no local. 

Segundo testemunhas, o carro tinha placa da Bélgica.  Essas pistas conduziram a polícia belga a prender vários suspeitos neste sábado. 

Bélgica prende suspeitos de atentados em Paris

14/11/2015 – 16:58

Um dos suspeitos era francês

Segundo Molins, um dos suspeitos nasceu em 22 de novembro de 1985 na França e tinha passagens pela polícia. Segundo relato do New York Times, o  terrorista francês era suspeito de envolvimento com grupos radicais. Ele foi identificado por suas digitais. 

O outro era sírio e não era conhecido pela polícia francesa. De acordo com informações do governo grego, o passaporte encontrado com o corpo do homem que detonou explosivos próximo do estádio onde ocorria um jogo de futebol pertencia a um refugiado sírio, que que entrou na Grécia no último dia 3 de outubro. 

 

Passaporte de terrorista era de refugiado sírio, diz Grécia

14/11/2015 – 16:41

Número de mortos sobe para 129

Em coletiva de imprensa, Francois Molins, promotor de Paris,  afirma que 129 pessoas foram mortas durante atentados.

Os ataques deixaram ainda 352 pessoas feridas – 99 estão em estado grave. 

Na casa de espetáculos Bataclan foram 89 mortos. 

No total, três grupos de terroristas atuaram durante os atentados.