A hora da verdade para Trump

Começa hoje a corrida oficial pela Casa Branca para os republicanos. Depois de quase um ano de debates, cinco meses de primárias e 17 candidatos ficando pelo caminho, Donald Trump e Mike Pence devem ser oficializados como candidatos esta semana na Convenção do Partido Republicano, em Cleveland, Ohio.

O esquema de segurança foi reforçado diante dos atentados na França e na Turquia e de ataques a policiais nos Estados Unidos. Protestos de grupos progressistas e de republicanos anti-Trump devem se espalhar pela cidade. Pelo menos 10.000 pessoas devem se reunir no entorno do ginásio onde será realizado o evento.

Em condições normais, convenções são eventos cuidadosamente coreografados em que os partidos curem as feridas das primárias e se unam em torno de um nome. Mas este não é um ano normal, o que reforça a importância de costuras internas. Trump é o primeiro candidato republicano em 76 anos sem experiência política, e ainda enfrenta forte rejeição de caciques do partido. O ex-presidente George W. Bush, por exemplo, não vai a Cleveland. John Kasich, governador de Ohio e candidato derrotado nas primárias, segue se recusando a endossar o valentão.

Seu apoio é aguardadíssimo pelos republicanos e pode ser decisivo para Trump. Ohio é um estado essencial na corrida. Desde o século XIX, nenhum republicano entrou na Casa Branca sem ganhar por lá. Kasich venceu as primárias de Ohio com larga margem sobre Trump.

Surpresas de última hora podem acontecer. Trump chega a Cleveland com 1.542 delegados, muito acima dos 1.237 que precisa para ser oficializado pelo partido. Mas organizadores do evento temem que manobras de última hora liberem os delegados para votar como quiserem, o que abre a possibilidade para resultados totalmente inesperados. Se tudo correr como previsto, Trump será entronado na quinta-feira.