A fome ainda mata

A seca severa e os conflitos étnicos em países africanos e no Iêmen acendeu um sinal de alerta. Cerca de 20 milhões de pessoas estão vivendo em áreas completamente degradadas, praticamente sem acesso a alimentos, e o mundo corre o risco de ver mortes em massa por fome. A preocupação foi veiculada pela agência da ONU que lida com questões de refugiados, a UNHCR, que já solicitou recursos internacionais para dar suporte às famílias em perigo. Porém, só 20% do dinheiro chegou até agora, e o prazo era até o final deste mês.