A China de portas abertas

No ano passado, o número de estudantes estrangeiros que se inscreveram em cursos na China foi 43% maior que em 2003

As universidades chinesas estão com um pé no mundo ocidental. O mundo ocidental, por sua vez, com os dois na China. A melhor prova disso é o aumento expressivo do fluxo de alunos que entram nas salas de aula do país. Em 2004, a China recebeu mais de 110 000 alunos estrangeiros um crescimento de 43% em relação ao ano anterior. O número ainda é pálido se comparado a países como Estados Unidos, onde entram 550 000 alunos estrangeiros anualmente. Mas, mesmo assim, representa um grande avanço para uma nação que, por décadas, manteve fechada ao mundo exterior não só sua economia, mas também as portas de suas salas de aula.

O principal motivo que explica a intensificação do fluxo de estudantes estrangeiros nos campi chineses são os convênios firmados entre as universidades locais com instituições do mundo todo. Desde a primeira parceria, feita no começo dos anos 90, os sistemas de cooperação proliferaram de forma vertiginosa. No final da década, já eram 300. Hoje 450 instituições facilitam o intercâmbio de professores e alunos. Os destinos preferidos dos estudantes são as regiões de Pequim e Xangai. Esta última viu o número de estudantes estrangeiros de suas universidades dobrar nos últimos cinco anos, chegando atualmente aos 12 000.

O esforço das universidades para atrair alunos estrangeiros se dá de forma funcional: a maioria de seus sites têm versões em inglês. Seus formulários de inscrição também são bilíngües. Além disso, algumas instituições, como a Fundan University, oferecem aulas extras de economia, literatura e direito para alunos estrangeiros. Isso porque quem quer adentrar o mundo chinês principalmente para fazer negócios deve antes desbravar seus códigos lingüísticos e culturais. O governo está tão interessado na cooperação universitária que também tem feito investimentos nesse setor. Cerca de 30% dos alunos estrangeiros recebem bolsas do governo chinês para estudar no país.

Veja algumas das principais universidades chinesas que têm intercâmbio com outros países:

Beijing University of Language and Culture

National Tsing Hua University

Fundan University

Nankai University