55% dos europeus apoiam veto a imigrantes muçulmanos

Uma pesquisa elaborada pela Chatham House mostrou também que a oposição a esses imigrantes é significativa entre aposentados e mais velhos

São Paulo – Uma pesquisa elaborada pela Chatham House mostrou que, em dez países europeus, 55% das pessoas ouvidas concordam totalmente com a afirmação de que toda a imigração de países de maioria muçulmana deve ser interrompida. Apenas 20% das pessoas ouvidas discordaram da afirmação, enquanto 25% delas nem concordaram nem discordaram.

Entre os países ouvidos pelo instituto de política independente, 71% das pessoas concordaram com o veto total a imigrantes de países de maioria muçulmana na Polônia, 65% na Áustria, 53% na Alemanha, 51% na Itália, 47% no Reino Unido e 41% na Espanha. A pesquisa foi realizada nos seguintes países: Bélgica, Alemanha, Grécia, Espanha, França, Itália, Áustria, Reino Unido, Hungria e Polônia.

O veto sondado nessa pesquisa é similar ao imposto pelo presidente dos EUA, Donald Trump, contra sete países de maioria muçulmana. O decreto de Trump foi barrado na Justiça americana e agora é alvo de uma disputa judicial.

A Chatham House afirma que a oposição pública aos imigrantes de países muçulmanos é particularmente intensa em Áustria, Polônia, Hungria, França e Bélgica, mesmo diante do fato de que já existem populações muçulmanas residentes.

A pesquisa mostrou também que a oposição a imigrantes muçulmanos é particularmente grande entre pessoas aposentadas e de mais idade.

Há também uma forte divisão caso se considere os anos de estudo. Entre aqueles com nível secundário, 59% se opõem à imigração muçulmana, enquanto menos da metade entre os que têm diploma defendem isso.