42 imigrantes são detido após entrarem nos Estados Unidos

Os manifestantes teriam atacado com pedras os oficiais que protegiam a cerca que separa os dois países na região californiana de San Ysidro

San Diego – Um grupo de 42 imigrantes foi detido no domingo em território americano depois de terem cruzado a fronteira à força por Tijuana (México), informou nesta segunda-feira Rodney Scott, chefe de setor da Patrulha Fronteiriça em San Diego (Califórnia), em entrevista à emissora “CNN”.

Os imigrantes, que participaram de uma manifestação realizada em solo mexicano, teriam atacado com pedras os oficiais que protegiam a cerca que separa os dois países na região californiana de San Ysidro, que por sua vez responderam com o uso de gás lacrimogêneo.

“No início, tínhamos dois ou três agentes enfrentando centenas de pessoas nesse momento, portanto utilizaram o gás para se proteger e proteger a fronteira”, disse Scott na entrevista à “CNN”.

Scott detalhou que três agentes foram agredidos, mas por estarem usando equipamento antimotins não sofreram ferimentos graves, enquanto os veículos estacionados no local foram danificados pelo impacto dos objetos lançados pelos imigrantes, acrescentou.

Estes 42 detidos no lado americano da fronteira, entre eles oito mulheres, se somam aos 39 que foram presos no lado mexicano. No entanto, Scott reconheceu que “várias pessoas” conseguiram entrar nos EUA por trechos onde não foi possível reforçar o muro entre San Diego e Tijuana.

A tensão aumentou no domingo, quando integrantes da caravana de imigrantes que chegaram à fronteira em busca de asilo romperam a cerca de segurança instalada pela polícia mexicana e se aproximaram do ponto de entrada aos Estados Unidos.

Integrantes deste numeroso grupo conseguiram abrir uma passagem na cerca americana, por onde dezenas de pessoas entraram ilegalmente nos EUA.

Por esta razão, autoridades americanas fecharam pela terceira vez em uma semana a passagem internacional entre San Diego e Tijuana.

O Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP) justificou esta medida com a presença do crescente número de pessoas que pretendiam entrar ilegalmente nos EUA.

“Diante da possibilidade que outros grupos também se separarem das manifestações para uma possível tentativa de entrar ilegalmente nos pontos de entrada, o CBP suspendeu as operações”, indicou um porta-voz do escritório.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse hoje no Twitter que está disposto a fechar a fronteira “permanentemente” se o México não atuar para enviar outra vez aos seus países de origem os imigrantes, aos quais chamou de “criminosos”.

Trump aproveitou para pedir ao Congresso que dê verbas para a construção do muro na fronteira com o México, algo que ele pede desde que chegou à Casa Branca, em 2017.