Wall Street recua com queda nas ações da Amazon e setor de tecnologia

O índice Dow Jones caiu 0,06 por cento, a 25.044 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,18 por cento, a 2.806 pontos

Os índices acionários norte-americanos S&P 500 e Nasdaq fecharam em alta nesta segunda-feira, com salto nos rendimentos dos títulos soberanos de 10 anos impulsionando as ações do setor financeiro e os investidores antecipando uma força contínua nos lucros corporativos e no crescimento econômico dos Estados Unidos.

O índice Dow Jones caiu 0,06 por cento, a 25.044 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,18 por cento, a 2.806 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,28 por cento, a 7.841 pontos.

O índice de ações do setor financeiro subiu 1,3 por cento após o retorno do Treasury de 10 anos dos EUA subir ao seu nível mais alto em cinco semanas. Permaneceu a expectativa de que o Federal Reserve, banco central do país, continuará aumentando as taxas de juros apesar das críticas do presidente norte-americano, Donald Trump.

“Os rendimentos estão aumentando, o que é um sinal de fortalecimento da economia”, disse o estrategista-chefe de mercado da Bruderman Asset Management, em Nova York, Oliver Pursche. “E os resultados têm sido muito fortes”, acrescentou.

Os analistas agora prevêem crescimento nos lucros de cerca de 22 por cento na temporada de balanços do segundo trimestre, acima dos 20,7 por cento no início do mês, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.

Mas alguns investidores estão preocupados com os efeitos das tensões do comércio internacional sobre o dólar norte-americano, que subiu nos últimos meses. Várias multinacionais dos EUA estão reavaliando suas estratégias de hedge cambial.

As ações da Illinois Tool Works Inc. caíram 7,2 por cento, contribuindo para o declínio de 0,6 por cento do índicedo setor industrial do S&P 500. A fabricante de autopeças cortou sua previsão de ganhos para o ano todo, juntando-se à Netflix, ao culpar o dólar.

A Amazon.com caiu 0,7 por cento e foi o maior obstáculo para os índices S&P 500 e Nasdaq, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, renovou seus ataques à gigante do comércio online.