Via Varejo dispara na Bolsa com anúncio de banco digital

O banco pretende originar clientes e oferecer serviços de pagamento nas 750 lojas Casas Bahia

São Paulo – As ações da Via Varejo abriram o pregão em alta de 6,45% na abertura do pregão desta quinta-feira. Os papéis eram negociados por R$ 4,90. Na véspera, a companhia anunciou o lançamento banQi, o banco digital da companhia, em parceria com a Airfox, startup americana.

O banco pretende originar clientes e oferecer serviços de pagamento nas 750 lojas Casas Bahia, sendo mais de 60 milhões de consumidores que já se relacionaram e conhecem as marcas da Via Varejo.

Além dos serviços de carnê digital, pagamento de boletos e contas, recarga de vale-transporte e celular, os clientes BanQi poderão realizar saques e depósitos diretamente nos caixas das lojas Casas Bahia, ter acesso a cartão pré-pago bandeirado e com disponibilidade de saldo atrelada ao aplicativo, e contratar no futuro empréstimos pessoais com juros potencialmente mais baixos, que serão concedidos com o emprego de tecnologia machine learning, que utilizará dados alternativos para criar modelos de crédito mais dinâmicos.

Para os analistas da Guide Investimentos, a notícia já era esperada pelo mercado desde a parceria com a AIrfox em setembro do ano passado.

No relatório divulgado a clientes, a Guide destacou que a varejista tem  uma ampla base de clientes que já utilizam o crediário, e o banco digital traz uma vantagem competitiva à companhia com foco nas classes C, D e E. “Mais de 5 milhões de clientes da Via Varejo usam o carnê para realizar as compras e outros 20 milhões têm cartões cobranded da varejista.”

Os analistas disseram ainda que o novo sistema ainda deverá contribuir para uma redução de custos significativos de emissão e aumentará a experiência do cliente, fornecendo um serviço diferenciado tanto do lado digital como nas lojas.

Problemas acionários

As ações da Via Varejo são destaque na semana. Os investidores acompanham as questões relacionadas aos acionistas da empresa. Uma notícia publicada pelo Estadão afirmou que empresário Michael Klein, acionista e membro da família que fundou as Casas Bahia, tenta atrair investidores dispostos a injetar capital na empresa por meio de fundos, em uma estrutura societária.

No mês passado, Klein contratou os serviços da XP para avaliar a aquisição de ações da varejista na bolsa. O empresário quer tirar o controle das mãos do Grupo Pão de Açúcar, que detém 36% da Via Varejo. A família Klein, por sua vez, tem uma fatia de 25%.