Varejo surpreende; 58 mi inadimplentes…

Bolsa sobe

Em um dia de mercados guiados pelas ações de commodities, o Ibovespa teve alta de 0,7%, encerrando o pregão com 62.131 pontos. Impulsionado pelo aumento nos índices de preços dos produtos na China, o preço do minério de ferro subiu 2,19%, levando junto as ações da mineradora Vale, as quais dispararam: 6,3% nos papéis preferenciais e 7,7% no ordinários. As ações do fundo Bradespar, que detém participação na Vale, também subiram 5,51%. O pior desempenho do dia foram as ações da empresa de formas de pagamento Cielo, que caíram 3,35%. O dólar operou em baixa.

__

Menos petróleo

As ações preferenciais da Petrobras terminaram o dia em alta de 0,98%, após aumento no preço do barril de petróleo durante a manhã. O ministro do petróleo do Iraque, Jabar Ali al-Luaibi, disse que o país diminuiu a produção em 160.000 barris por dia desde o início de janeiro, em linha com a decisão da Opep de reduzir a oferta para aumentar o preço do barril. O ministro disse que até o final do mês espera que o corte seja de 210.000 barris por dia.

__

Varejo surpreende

Segundo o IBGE, as vendas no varejo tiveram em novembro o melhor mês desde 2013, quando o montante de vendas subiu 2% em relação ao mês anterior, a primeira alta depois de quatro meses de queda. É também o melhor resultado para o mês desde novembro de 2007. Apesar do bom dado, nos primeiros 11 meses de 2016 a atividade varejista registro queda acumulada de 6,4%. A média das projeções de analistas era de uma alta de 0,3% e o resultado superou até a mais otimista das expectativas.

__

Mercedes-Benz na esperança

A fabricante de automóveis Mercedes-Benz espera aumentar as vendas de caminhões novos e ônibus entre 6% a 10% este ano no Brasil. Apesar disso, as vendas da unidade brasileira da Daimler devem sofrer novo prejuízo anual. “Quando você tem custos de 2016, preços de 2009 e volumes de 20 anos atrás a conta não fecha”, disse Roberto Leoncini, vice-presidente de vendas de veículos comerciais. No ano passado, a venda de caminhões no brasil foi de 47.000 novas unidades, ante as 67.900 em 2015 e 133.000 em 2014. A Mercedes-Benz vendeu 13.900 veículos no ano passado, o equivalente a 29,6% do mercado.

__

Safra histórica?

Segundo relatório do IBGE, 2017 pode registrar um recorde na colheita brasileira. É estimada uma safra de 2137 milhões de toneladas, entre cereais, leguminosas e oleaginosas. O montante seria maior do que o de 2016, quando a safra foi de 184 milhões de toneladas e superaria o atual recorde, de 2015, de 209,7 milhões de toneladas. A queda na produção do ano passado, de 12,2% em relação ao ano anterior, foi a maior desde a queda apresentada em 1996.

__

58,3 milhões de inadimplentes

O ano passado terminou com 700.000 brasileiros a mais na lista de inadimplentes em relação a 2015, uma variação de 1,44%. Embora o número seja maior, houve desaceleração no número de inadimplentes, com a maior dificuldade de acesso ao crédito durante a recessão. A variação é a menor entre um ano e outro desde que iniciou a série histórica, medida pelo Serviço de Proteção ao Crédito e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Em 2015, foram adicionados 2,5 milhões de pessoas aos cadastros de inadimplência. São, ao todo, 58,3 milhões de brasileiros inadimplentes, cerca de 39% da população adulta.