Vale quer elevar em 33% remuneração aos acionistas

Companhia levará ao Conselho de Administração proposta de retorno mínimo de US$ 0,52 por ação

A diretoria da Vale do Rio Doce aprovou nesta segunda-feira (21/1) a proposta de aumento de 33,3% na remuneração mínima aos acionista em 2008, que subiria para 0,517342250 dólar. A questão, que representa 2,5 bilhões de dólares em remunerações em 2008, será agora submetida à aprovação do Conselho de Administração da companhia.

Em comunicado, a Vale ressalta que o reajuste “é consistente com as diretrizes da política financeira da Vale que prevêem a conciliação do financiamento das oportunidades de crescimento rentável com a preservação de um balanço saudável”.  Entre 2003 e 2007, o retorno para o acionista foi de 73,7% ao ano.

Para a Brascan Corretora, “o aumento da remuneração proposta para 2008 demonstra a saúde financeira da Vale, com uma forte geração de caixa desde a incorporação da canadense Inco”. Pelas estimativas da corretora, a companhia deve apresentar em 2007 um crescimento de 55% em seu lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida).

Diante desse cenário, a corretora recomenda compra das ações da Vale, projetando um potencial de alta para os papéis de 52,7% em 2008. Ontem, as ações preferenciais da companhia desabaram 11,35%, para 41,55 reais – a maior queda do pregão, que encerrou com o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) em baixa de 6,6%, a maior desvalorização desde fevereiro do ano passado.

A notícia de que a brasileira negocia a compra da Xstrata, a sexta maior mineradora do mundo – informação dada com exclusividade pelo Portal EXAME na última sexta-feira (18/1) -, deixou os investidores cautelosos. A companhia estaria disposta a pagar 90 bilhões de dólares pela concorrente anglo-suíça, cinco vezes mais que o valor despendido em sua maior aquisição – a Inco, comprada em 2006 por 17 bilhões de dólares.

Na avaliação dos analistas, a operação pode ser positiva para a Vale, mas é preciso avaliar como ficará seu nível de endividamento. “A companhia ganharia exposição em minerais em que sua participação não é tão relevante quanto em minério de ferro e níquel”, aponta relatório da corretora SLW. “Contudo, o mais importante será avaliar a estrutura de pagamento utilizada para a conclusão do negócio, pois a companhia não pode perder o grau de investimento”, complementa.

Às 11h24, as ações preferenciais da Vale eram negociadas a 42,06 reais, em alta de 1,23%. Já os papéis ordinários subiam 1,9%, para 47,10 reais.