UBS eleva recomendação para ações da MPX com “meia Bolívia de gás”

Banco está otimista com as perspectivas para os ativos no Maranhão

São Paulo – O banco UBS elevou hoje a recomendação para as ações da MPX Energia (MPXE3). De acordo com nota publicada pela analista Lilyanna Yang, a indicação foi alterada de venda para neutra. “Estamos mais otimistas com a MPX já que a empresa tem criado o seu portfólio e progredido com as construções de Pecém I, Pecém II e Itaquí como o planejado”, destaca Lilyanna.

Segundo a analista, a MPX tem um “portfólio único integrado de projetos térmicos baseados em carvão e gás”. Um dos principais pontos que justificou a alteração na recomendação para os papéis da empresa foi a reavaliação, por parte do banco, do potencial a ser gerado pelos ativos de gás descobertos na bacia Parnaíba, no Maranhão.
 
Agora, a estimativa do valor da fatia da MPX no projeto é de R$ 1,023 bilhão, ou R$ 7,4 por ação. O valor supera em muito a expectativa anterior de R$ 1 por ação. Com isso, o preço-alvo para os papéis da MPX saltou de R$ 23 para R$ 31. A reserva no Maranhão, divulgada em outubro deste ano, tem uma capacidade produtiva de aproximadamente 15 milhões metros cúbicos diários de gás natural.
 
O projeto Parnaíba é parte da OGX Maranhão, sociedade dividida entre a OGX (66,6%) e a MPX (33,3%). A empresa detém 70% do bloco e a Petra Energia detém os 30% restantes. Lilyanna adicionou ainda que a MPX terá um fluxo de caixa positivo a partir de 2012, mas que não espera a distribuição de dividendos, uma vez que os recursos deverão ser preservados para o crescimento.
 
Em agosto, Eike Batista chegou a comparar as reservas de gás natural “a meia Bolívia”.