Tudo o que você precisa saber antes de o mercado abrir

A Lei das Estatais foi considerada um marco na moralização das nomeações - mas funciona apenas no papel

São Paulo – Leia as principais notícias desta quinta-feira (06) para começar o dia bem informado:

As quentes do dia

Apesar de lei, partidos continuam nomeando diretores de estatais. O governo Temer sancionou a Lei das Estatais há nove meses, mas, nos bastidores, a prática de nomear afilhados políticos para as diretorias permanece, só que de forma mais discreta.

Mercedes pode fechar fábrica em São Paulo. A planta foi inaugurada há pouco mais de um ano em Iracemápolis, no interior do estado, e o motivo do fechamento não tem nada a ver com a crise, mas com a incerteza sobre programa de benefícios fiscais.

Minoritários brigam por vaga na Vale. A disputa é pela indicação de pelo menos um nome para o Conselho de Administração da empresa na Assembleia marcada para o dia 20. Duas frentes se formaram, e agora brigam por apoio nos bastidores.

Votorantim tem prejuízo de R$ 1,25 bilhão em 2016. No ano anterior, a empresa tinha lucrado R$ 382 milhões. Afetada pela crise, a Votorantim não descarta entrada de sócios ou abertura de capital de subsidiárias.

Processo da Estácio e Kroton terá prazo maior. O Cade ampliou o prazo de análise da fusão em até 60 dias, a pedido das empresas. O Cade costuma julgar este tipo de processo em até 240 dias; o da Estácio e Kroton já se estende por 217 dias.

Pezão propõe incentivo fiscal de R$ 650 milhões para fábrica da Ambev. Na mensagem, Pezão argumenta que a fábrica gerará 200 empregos diretos e indiretos. Os benefícios concedidos pelo estado a empresas em meio à crise econômica são tema de uma CPI proposta pela oposição.

Política e mundo

Placar da Previdência indica que governo tem desafio na Câmara. Se a votação tivesse acontecido na quarta-feira, nem uma proposta com regras mais brandas para a aposentadoria e pensões seria aprovada pelos parlamentares. Ontem, o PTN, com 13 deputados, comunicou rompimento com governo Temer.

Estados terão 4 anos de carência para pagar dívida com BNDES. A medida é um aceno do governo para tentar facilitar a aprovação do projeto que estabelece um programa de recuperação fiscal para Estados falidos.

Governo dominicano nega que recebeu dinheiro para pagar Santana. Na República Dominicana, João Santana dirigiu a campanha eleitoral de Medina em 2012 e também esteve à frente da de 2016, mas teve que deixar o país antes das eleições, quando foi acusado no Brasil por seus vínculos no esquema de corrupção na Petrobras.

Tillerson pede à Rússia que repense apoio ao regime de Assad. O secretário de Estado americano responsabilizou o governo de Bashar al-Assad pelo “terrível ataque” ocorrido ontem na Síria. Entenda mais sobre o suposto ataque químico na Síria.

Enquanto você desligou…

Maia buscará veto de Temer para lei que restringe Uber. O projeto aprovado na Câmara dá às cidades maior poder para regular esses aplicativos, que deixariam de ser um serviço privado para passar a ser um serviço de transporte público.

TCU identifica indícios de irregularidades em obras do Comperj de R$ 544 milhões. O TCU vai analisar os contratos e quantificar os danos e para apurar as responsabilidades pelos indícios de sobrepreço nestes.

Agenda do dia

Nesta quinta-feira, sai o IGP-DI e a Anfavea divulga a produção e vendas de carros de março.