Títulos da Eletrobras despencam com Dilma anulando ganhos

Desde que o governo disse que pagaria menos que a metade do que a companhia esperava como indenização, taxas dos títulos da captação subiram

São Paulo – Títulos em dólar emitidos pela Centrais Elétricas Brasileiras SA, maior geradora de energia da América do Sul, estão sendo negociados com desconto recorde para papéis do governo brasileiro em meio a receios de que a estatal cederá às demandas da presidente Dilma por tarifas menores.

Desde que o governo disse em 1 de novembro que pagaria menos que a metade do que a companhia esperava como indenização, taxas dos títulos da captação de US$ 1,75 bilhão com vencimento em 2021 subiram 0,58 ponto percentual para 4,72 por cento.

São 2,62 pontos acima dos títulos soberanos que compartilham com a Eletrobras o rating BBB da Standard & Poor’s. Os custos de captação da companhia subiram mais do que os de qualquer outra empresa de rating alto, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

O plano de Dilma para ajudar a reduzir os custos de energia elétrica em até 28 por cento irá quase anular o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, o Ebitda, no ano que vem, disse o diretor financeiro da empresa, Armando Casado de Araújo, em 19 de novembro, dando combustível para uma alta na relação dívida líquida/Ebitda. 

O governo está oferecendo R$ 14 bilhões em caixa à Eletrobras para compensar as tarifas mais baixas, menos da metade dos R$ 30 bilhões que a companhia havia dito que esperava receber.

“O receio é de que a alavancagem possa subir e isso poderia levar uma agência de classificação de risco a rebaixar a companhia”, disse Su Fei Koo, administrador de carteira da DoubleLine Capital LP, em entrevista por telefone de Los Angeles. “Isso é sobre quanto eles vão conseguir, quanto a alavancagem irá subir. Isso potencialmente levará a um rebaixamento em um nível e continuará no grau de investimento ou poderia potencialmente ser rebaixada mais, para abaixo do grau de investimento?”

O Ministério de Minas e Energia não quis comentar sobre o impacto do plano do governo nos títulos da Eletrobras, segundo e-mail em resposta a questões.

A Eletrobras está orientando os acionistas a aceitarem os termos de renovação das concessões propostos pelo governo, disse a assessoria de imprensa da companhia em e-mail em resposta a questões. Ela não quis comentar sobre o desempenho dos títulos. A empresa terá assembleia de acionistas em 3 de dezembro.