Títulos argentinos passam a território positivo e cai risco do país

Ao longo do dia, o risco país argentino feito pelo banco JP Morgan chegou a cair até a zona dos 598 pontos básicos, depois da renúncia do presidente do BC

Buenos Aires – A dívida argentina negociada fora de bolsa ou balcão mudou de direção nesta terça-feira e passou a operar em território positivo, com a consequente queda no risco do país, uma vez que os investidores interpretam que a nova condução do banco central está em linha com a negociação do governo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), disseram operadores.

A tendência positiva dos títulos (OTC) era encabeçada pelos Bonar 2024, em dólares, com 0,7 por cento, às 15h19 no horário local local. Os volumes negociados caíram devido à volatilidade intradiária e em função da greve nacional nesta terça-feira.

O risco país argentino elaborado pelo banco JP Morgan caía 14 unidades, até a zona dos 598 pontos básicos, e, pela manhã, chegou a superar a linha das 620 unidades.

O presidente do Banco Central da Argentina (BCRA), Luis Caputo, apresentou sua renúncia nesta terça-feira por motivos pessoais em meio a uma grave crise cambial, e o governo anunciou que tomará posse o atual vice-ministro de Economia, Guido Sandleris.

A mudança inesperada na condução da autoridade monetária ocorre no momento em que a Argentina negocia uma ampliação de um acordo com o FMI.