Thomson Reuters oferta mais à UE em caso antitruste

Há um investigação contra a empresa relacionada a códigos para dados financeiros

A Thomson Reuters ofereceu mais compensações à Comissão Europeia a fim de acabar com uma investigação antitruste relacionada a códigos para dados financeiros, disse um porta-voz da Comissão nesta sexta-feira.

A Thomson Reuters possui o sistema “Reuters Instrument Codes”, que identifica ações, títulos e outros instrumentos financeiros utilizados por operadores do mercado em todo o mundo, controlando o acesso a esses RICs, o que alguns concorrentes e a Comissão argumentam que sufoca a concorrência no mercado de dados financeiros.

“Posso confirmar que recebemos novas propostas de compromissos pela Thomson Reuters”, disse Antoine Colombani, porta-voz para questões de Concorrência da Comissão. Ele não forneceu mais detalhes.

A Thomson Reuters afirmou que as concessões foram destinadas a atender às preocupações dos clientes.

“É prematuro fazer mais comentários ou discutir esses detalhes, mas vamos continuar a cooperar plenamente com a Comissão Europeia e resolver este assunto”, disse a porta-voz da Thomson Reuters, Yvonne Diaz, disse em um comunicado.

Em dezembro do ano passado, a Thomson Reuters ofereceu-se para abrir a sua classificação para os concorrentes, desde que eles pagassem uma taxa de licenciamento.

Mas em um teste de mercado realizado por observadores da União Europeia, os concorrentes e empresas comerciais passaram a exigir mais.

Se os reguladores da União Europeia aceitarem as novas compensações, a Thomson Reuters não será multada.

As penalidades por violação de regras da União Europeia podem chegar até 10 por cento do volume global de negócios da companhia.

Os produtos de mercado financeiro da Thomson Reuters competem principalmente com a Bloomberg, que possui um sistema similar de classificação.