Tensões na Líbia derrubam Bolsas da Ásia

Tóquio – Os mercados asiáticos fecharam em forte queda nesta terça-feira. Os investidores mostraram aversão ao risco, devido ao agravamento dos conflitos geopolíticos no norte da África e no Oriente Médio, especialmente com a situação na Líbia, grande produtora de petróleo.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng baixou 2,1% e fechou aos 22.990,81 pontos. Analistas disseram esperar que o índice encontre sustentação no nível dos 22 mil pontos na semana que vem. “As pessoas estão comprando ouro e petróleo, em vez de ações”, observou um dos analistas.

Já as Bolsas da China tiveram a maior queda diária em mais de um mês, também pressionadas pela reiteração de Pequim em manter a alta dos preços sob controle. O índice Xangai Composto perdeu 2,6% e terminou aos 2.855,52 pontos. O índice Shenzhen Composto recuou 2,7% e fechou aos 1.262,82 pontos.

O yuan caiu ante o dólar depois de o banco central fixar nova alta da taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,5705 yuans para 6,5772 yuans), e uma vez que a divisa americana subiu no Ocidente em meio à intensificação da instabilidade política na Líbia. No mercado de balcão, o dólar fecho cotado em 6,5803 yuans, de 6,5668 yuans ontem.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou o dia em baixa. O índice Taiwan Weighted, que recuou 1,87%, fechando aos 8.673,67 pontos, chegou a atingir a pontuação mínima de 8.613,34 pontos durante o dia.

Após três pregões de alta, a Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fechou em baixa. O índice Kospi caiu 1,8% e terminou aos 1.969,92 pontos, por conta de vendas de investidores estrangeiros.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou no negativo, também influenciada pelo terremoto em Christchurch, que afetou ações do setor financeiro com exposição à Nova Zelândia. O índice S&P/ASX 200 recuou 0,9% e encerrou aos 4.856,7 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em baixa, diante da escalada de tensão no Oriente Médio. O índice PSE retrocedeu 1,39% e fechou aos 3.784,07 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou em baixa em meio a movimento de vendas nos mercados asiáticos uma vez que o sentimento está enfraquecido por conta da contínua agitação política no Oriente Médio e no norte da África, levando os investidores a proteger seus ativos. O índice Straits Times caiu 1,7% e fechou aos 3.019,12 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, cedeu 1,3% e fechou aos 3.451,10 pontos, pressionado por preocupações de que a alta do petróleo devido às crescentes tensões no Oriente Médio possam pressionar a inflação.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 0,9% e fechou aos 987,21 pontos, pressionado pelas agitações no Oriente Médio. Também os bancos lideram a baixa, mas as blue chips de energia ajudaram a amenizar as perdas devido à alta de preços do petróleo.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, caiu 0,8% e fechou aos 1.513,63 pontos, com as tensões no Oriente Médio e no norte da África afetando o sentimento, provocando movimento de vendas. As informações são da Dow Jones