Taxas futuras de juros recuam com dólar, Lula e piora no varejo

Às 9h49 desta quarta, o DI para janeiro de 2019 caía a 6,94%, na mínima, de 6,98% no ajuste de terça-feira

São Paulo – Os juros futuros operam em queda na manhã desta quarta-feira, 13, na esteira do dólar, precificando a possibilidade de condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no seu julgamento marcado nesta terça (12) para o dia 24 de janeiro.

Se for condenado, o petista – que há meses está na liderança das pesquisas de intenção de votos para a Presidência da República – poderá ser impedido de disputar as eleições em 2018.

Também pesa na renda fixa a piora das vendas do varejo em outubro no País. As vendas do comércio varejista caíram 0,90% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal, ficando perto do piso do intervalo das previsões dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,00% a alta de 1,20%, com mediana positiva em 0,20%.

Na comparação com outubro de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 2,5% em outubro de 2017. Nesse confronto, as projeções iam de uma expansão de 3,00% a 7,40%, com mediana positiva de 5,00%. As vendas do varejo restrito acumularam alta de 1,4% no ano e aumento de 0,3% em 12 meses.

Os investidores mantêm as atenções na reforma da Previdência. Em entrevista à radio Guaiba mais cedo, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que “esperamos votar a reforma da Previdência este ano, mas se não der, em fevereiro votamos”.

Em outra entrevista à radio Tupi, do Rio, o ministro disse nesta quarta que acredita sim que a reforma passará no Congresso. Também repetiu que irá tomar a decisão sobre ser ou não candidato à Presidência em 2018 apenas em março ou abril do ano que vem.

Às 9h49 desta quarta, o DI para janeiro de 2019 caía a 6,94%, na mínima, de 6,98% no ajuste de terça-feira. O DI para janeiro de 2020 estava em 8,28%, de 8,31% no ajuste da véspera.

O DI para janeiro de 2021, em 9,26%, de 9,32% no ajuste de ontem. E o DI para janeiro de 2023 recuava a 10,19%, de 10,25% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista caía 0,45%, aos R$ 3,3110, neste mesmo horário.