Suzano se endivida mais do que o permitido nos termos dos títulos da dívida

Empresa convoca assembleia para o dia 28 com o objetivo de ajustar temporariamente os limites

São Paulo – A Suzano Papel e Celulose (SUZB5) anunciou nesta sexta-feira a convocação de uma assembleia de debenturistas para rever os termos sobre o limite de alavancagem que foram estourados nos resultados do terceiro trimestre de 2011. A reunião foi agendada para o dia 28 de dezembro. A companhia disse que irá avaliar também o pagamento de um prêmio em contrapartida ao ajuste assumido pelos investidores.

Os títulos têm uma cláusula que limita a razão entre a dívida líquida consolidada e o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) igual ou inferior a 4 vezes ao final de cada trimestre, não devendo ultrapassá-lo por dois trimestres consecutivos. A Suzano, contudo, ultrapassou esse limite no terceiro trimestre do ano. A relação dívida líquida/Ebitda ficou em 4,2 vezes.

A Suzano disse que diversas providências estão em implantação para fortalecer a estrutura de capital e viabilizar novos projetos do “Plano Suzano 2024”. Entre elas, está a venda da participação na Usina Amador Aguiar (Capim Branco), venda de terras no estado de São Paulo e a capitalização da Suzano Energia Renovável.

“Além disso, não estão descartadas vendas de determinados ativos da área de papel e/ou participações em novos projetos da área de celulose, não havendo qualquer decisão tomada neste particular”, mostra um trecho da nota assinada por Alberto Monteiro de Queiroz Netto, diretor executivo de finanças e relações com investidores.

A empresa disse que o ajuste no limite será temporário e que pretende voltar ao estabelecido inicialmente em outro momento.