Suzano dispara após aprovar aumento do poder dos minoritários

Conselho de administração da companhia aprovou mudança para Novo Mercado por meio da conversão de ações

São Paulo — As ações da Suzano Papel e Celulose operam em alta de mais de 7% nesta terça-feira, depois que a empresa informou que irá migrar para o Novo Mercado da B3 — segmento com regras mais rígidas de governança corporativa –, por meio da conversão das ações preferenciais em papeis ordinários.

A decisão é vista como benéfica para os acionistas minoritários, uma vez que dará a eles direito de voto. Além disso, a conversão será na razão de 1 para 1, sem a cobrança de um prêmio de controle — o que geralmente acontece em transações desse tipo.

Como destaca o Brazil Journal, na migração da Vale para o Novo Mercado, a empresa pedia um prêmio de 10%. Na Klabin, de 15% e na Alpargatas, de 30%.

Segundo fato relevante da companhia, “além dos ganhos de liquidez às ações de emissão da companhia”, a migração irá possibilitar “a concessão do direito de voto pleno em assembleias gerais, e o direito dos acionistas não-controladores de venda conjunta de suas ações pelo mesmo preço pago aos acionistas controladores, em caso de alienação de controle a terceiros.”

“A migração para o Novo Mercado representa o compromisso da companhia com o avanço de suas práticas de governança corporativa, proporcionando aos seus acionistas a igualdade de direitos políticos e econômicos, em alinhamento de interesses para o atingimento do interesse social da companhia”, disse a empresa em comunicado.

No ano, os papéis preferenciais da Suzano acumulam ganhos de 9,98%.


Veja também