Santander avalia e diz qual melhor ação do setor educacional

Ações da Anhanguera podem avançar quase 40% até o final de 2013, mas não são as preferidas

São Paulo – O Santander atualizou suas estimativas às ações de empresas do setor de educação superior brasileiro. O analista Bruno Giardino elevou o preço-alvo dos papéis da Kroton (KROT3) para final de 2013, de 43 para 50 reais, um potencial de valorização de 23%. A recomendação é classificada em compra.

Giardino destaca que a Kroton é a empresa preferida no setor de educação, com as perspectivas de forte crescimento de lucro de 46% para o ano que vem e extensão do FIES (Financiamento Estudantil) para cursos de ensino a distância.

Já as ações da Estácio Participações (ESTC3) tiveram seu preço-alvo elevado de 37 para 44 reais, o que corresponde a um potencial de alta de 21%. A recomendação de compra foi mantida.

De acordo com o relatório, o otimismo está baseado na alta do lucro por ação, com uma expectativa de crescimento de lucro anual de 47% até 2014, e na possível expansão de múltiplos dos níveis atuais para nível próximo a de seus competidores. Além disso, Giardino acredita na capacidade da companhia de apresentar expansão de margens aliado a uma melhora no ciclo de caixa.

Também com recomendação de compra, as ações da Anhanguera (AEDU3) ganharam um preço-alvo de 43 reais, ante os 38 da última avaliação. O retorno potencial é de 39%.

“A recomendação deriva da expectativa que a empresa possa apresentar forte expansão de margem nos próximos anos, de 20% em 2012 para 30% em 2016, e da expectativa de forte crescimento de lucro, com crescimento médio de 49% até 2014”, diz o analista.

O Santander acredita que a possível expansão do FIES poderá trazer potencial de valorização adicional às ações, com a empresa sendo a maior beneficiada no setor caso a expansão se concretize.

Em 2012, as ações da Anhanguera acumulam valorização de 53%, enquanto as da Estácio avançam 105%. Já os papéis da Kroton amargam uma desvalorização de 8,3%.