Rival da Uber, Lyft sai na frente e abre capital

Empresa de transporte por aplicativo foi avaliada em 24,3 bilhões de dólares na sua estreia na bolsa

O super sexy mercado das empresas de transporte por aplicativo finalmente vai à bolsa. Diferente do que poderia ser esperado, a companhia pioneira na realização de um IPO não foi a Uber, mas sim sua concorrente norte-americana, a Lyft. A startup estará listada na bolsa Nasdaq de Nova York nesta sexta-feira, 29, sob o nome LYFT. Suas ações estão precificadas a 72 dólares cada.

A Lyft revelou seu planos de realizar uma oferta pública inicial de ações em dezembro de 2018. O preço ofertado por ação é 10 dólares mais caro que o mínimo previsto na primeira divulgação dos preparativos para o IPO, quando a companhia estudava a possibilidade de cobrar entre 62 e 68 dólares por título. Cobrando 72 dólares, a Lyft levantará aproximadamente 2,3 bilhões de dólares em um dia, e entrará na bolsa norte-americana com uma avaliação de mercado de cerca de 24,3 bilhões, segundo a Reuters.

Para chegar à bolsa com pompa, a Lyft associou sua imagem a negócios inovadores e distanciar-se das grandes montadoras do passado. Bancos como Credit Suisse e JPMorgan são responsáveis por essa estratégia de mercado. Durante conversas com potenciais investidores, eles a compararam com plataformas de mediação de venda, como o site Mercado Livre. A Lyft também tentou atrelar sua imagem a outras gigantes do Vale do Silício que começaram pequenas e hoje dão muito retorno para os acionistas, como Netflix, Facebook, Google e Amazon.

O aumento do preço de cada título mostra que a estratégia foi bem sucedida e indica que muitos investidores estão mais interessados no potencial da empresa do que na sua capacidade de gerar lucro atualmente. Em 2018, a Lyft faturou cerca de 2,2, bilhões de dólares, mas teve prejuízo de 1 bilhão, principalmente pelos descontos oferecidos para concorrer com o Uber no mercado dos Estados Unidos e Canadá.

O sucesso de seu IPO, ironicamente, deve ajudar sua concorrente Uber, que fez de tudo para bloquear o avanço da concorrente, no seu próprio processo de abertura de capital, que deve acontecer em abril. Com a estratégia de atrelar sua imagem às grandes empresas do Vale somada ao seu potencial global, a Uber pode chegar a uma avaliação de mercado de até 120 bilhões de dólares.