Ricos preveem que vão ficar mais ricos com ações em 2020

Investidores com alto patrimônio são quase unânimes no otimismo sobre os mercados

Investidores com alto patrimônio são quase unânimes no otimismo sobre os mercados em 2020, segundo o UBS Global Wealth Management.

Uma impressionante proporção de 94% de investidores ricos espera retornos positivos este ano, segundo pesquisa com mais de 4.800 participantes globais. Cerca de 66% estão otimistas em relação aos seus próprios mercados acionários regionais. Os mais otimistas são os dos EUA, mostra a pesquisa realizada entre 19 de dezembro e 12 de janeiro. Os investidores acreditam que o impulso para ganhos virá com a melhora das relações comerciais EUA-China, crescimento dos lucros das empresas, expansão dos mercados emergentes e ritmo de inovação.

É uma grande mudança de expectativa em relação à pesquisa anterior de outubro, segundo a qual mais da metade dos entrevistados esperava uma onda de vendas significativa nos mercados até o fim de 2020. Apenas 6% esperam retornos negativos no mercado este ano, segundo a pesquisa mais recente. E 60% se mostraram otimistas em relação à economia global.

Apesar do aumento das tensões no Oriente Médio, os ativos de risco globais iniciaram 2020 com forte demanda, estendendo o rali do ano passado com a ajuda da assinatura do acordo comercial de primeira fase EUA-China. O S&P 500 atingiu novo recorde de alta no início deste mês. E o principal índice de referência do mercado acionário da Europa voltou a bater recorde nesta sexta-feira, com fortes dados econômicos ofuscando preocupações com o surto de um vírus na China que pesou sobre os mercados no início da semana.

“Praticamente todos os investidores relataram retornos positivos da carteira em 2019, com a continuidade de altas expectativas para 2020”, disse no relatório Paula Polito, vice-presidente do conselho divisional do UBS Global Wealth Management. “O otimismo sobre a economia e mercado de ações continua a aumentar, mas os eventos geopolíticos podem moderar esse otimismo a qualquer momento.”

Cerca de 25% dos ativos dos entrevistados estavam alocados em dinheiro, um pouco abaixo do relatório anterior. Estrategistas de Wall Street e grandes investidores como Ray Dalio têm recomendado o posicionamento em ativos de risco. “Dinheiro é lixo”, disse o fundador da Bridgewater Associates em entrevista à CNBC na conferência de Davos, recomendando diminuir a alocação em dinheiro.

O UBS Global Wealth Management entrevistou investidores e empresários em 19 mercados com patrimônio líquido de pelo menos US$ 1 milhão ou US$ 250 mil em receita anual e pelo menos um funcionário além deles mesmos.