Revertendo desempenho, papéis da TAM se aproximam da estabilidade

Papéis oscilam e reduzem ganhos após forte valorização hoje; oscilação das ações é alvo de investigação na CVM

São Paulo – Após começar o pregão ecoando a forte alta da última sexta-feira (quando chegou a valorização de 28%), as ações da TAM (TAMM4), recém-unida à Lan Chile, oscilaram em seu desempenho e chegam perto da estabilidade na tarde desta segunda-feira (16) na BM&FBovespa.

Após breve operação em terreno negativo, as ações chegaram à alta de 0,41% por volta das 16 horas, negociadas a  36,35 reais. O papel perde forças após uma sequência de altas desde o anúncio da nova holding aérea na sexta-feira. Segundo analistas, o preço-ideal da ação correspondente à Latam é de 43 reais.

A oscilação dos papéis, cujo preço varia desde os rumores sobre a fusão, está sendo investigada pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários, autarquia do mercado de ações brasileiro. A alta da ações começou antes mesmo do anúncio oficial da união entre as duas empresas, que dá origem à Latam Airlines, após notícia veiculada pelo portal Exame.

“Estamos investigando. Toda oscilação que precede a divulgação de uma informação relevante é sempre seguida de uma análise da CVM”, disse Maria Helena Santana, presidente da CVM, nesta segunda-feira. “Já pedimos informações para TAM e para a bolsa de valores”.

Também nesta tarde,  a Fitch Ratings comunicou ao mercado a mudança do rating da Lan Chile para observação negativa e do rating da TAM para observação positiva. Segundo a agência, a transação terá impactos diferentes na qualidade do crédito de cada uma das empresas. “Os fatores fundamentais para a estabilização do perfil de crédito da companhia combinada serão a capacidade da administração de acelerar as sinergias esperadas e o compromisso de que os grupos Cueto e Amaro proporcionem suporte tangível e aumento de capital, se necessário,  para que seja mantido um sólido perfil de crédito”, justifica a agência.
 

Siga as últimas notícias de Mercados no Twitter