Reino Unido e UE estão perto de acordo de serviços financeiros pós-Brexit

O acordo de serviços financeiros é parte do acordo geral do Brexit que a primeira-ministra britânica espera fechar no máximo até o final do ano

Londres – Está quase fechado um acordo que dará a Londres, o maior centro financeiro internacional do mundo, um acesso básico aos mercados financeiros da União Europeia após a saída do Reino Unido do bloco, disse nesta quinta-feira uma autoridade britânica.

Tal acordo daria ao Reino Unido um nível de acesso semelhante ao daquele de grandes empresas dos Estados Unidos e do Japão, mas pode sujeitar Londres a muitas normas financeiras da UE durante anos.

“Estamos fazendo progresso”, disse a autoridade, que falou sob condição de anonimato, à Reuters.

Mas ele também disse que o acordo de serviços financeiros se baseará no sistema existente de “equivalência” do bloco — muito menos do que o acesso amplo e preferencial aos mercados que muitos vinham esperando ver após a separação britânica da UE.

Outra autoridade britânica que falou sob condição de anonimato disse que, embora tenha havido progresso, nada foi finalizado.

O acordo de serviços financeiros é parte do acordo geral do Brexit que a primeira-ministra britânica, Theresa May, espera fechar no máximo até o final do ano, disse a segunda autoridade.

O Ministério do Brexit britânico disse que se está avançando rumo a um acordo de serviços financeiros, mas a Comissão Europeia não quis comentar de imediato.

Muitos grandes banqueiros temem que o Brexit mine lentamente a posição destacada de Londres como maior centro financeiro global, e uma pesquisa da Reuters mostrou que por enquanto 600 deles estão de mudança.

Bancos globais já reorganizaram algumas operações antes da desfiliação, programada para 29 de março.

O jornal Times noticiou que se chegou a um acordo provisório a respeito de todos os aspectos de uma parceria futura no setor de serviços, além da troca de dados.

A libra esterlina subiu após a reportagem do Times, ampliando os ganhos no início do pregão e chegando a 1,2914 dólar às 8h55 locais.

Hoje o Reino Unido sedia o maior número de bancos do mundo e o maior mercado de seguros comerciais.

Cerca de seis trilhões de euros, ou 37 por cento, dos ativos financeiros da Europa são administrados na capital britânica – quase o dobro de Paris, sua rival mais próxima.