Queda no abastecimento de gás não prejudica ações da Petrobras

Já os papéis da Comgás chegaram a recuar 4% na manhã desta quarta-feira

O mercado reagiu de forma positiva à notícia de que a Petrobras reduziu em 17%, nesta terça-feira (30/10), o fornecimento de gás natural para São Paulo e Rio de Janeiro para assegurar a geração de energia elétrica por termelétricas. Às 13h03, as ações preferenciais da companhia subiam 2,68%, para 71,90 reais enquanto as ordinárias tinham valorização de 2,62%, para 82,25 reais.

Na manhã desta quarta-feira, uma liminar do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro obrigou a companhia a restabelecer o abastecimento no estado. A medida, no entanto, não é extensiva a São Paulo, que continua sob racionamento. A Comgás, concessionária que atua em São Paulo, informou que fez acordo com sete indústrias paulistas para substituírem o gás natural por óleo combustível até que a situação seja normalizada. Os custos financeiros da substituição do gás pelo óleo serão arcados pela Petrobras. A estatal, no entanto, não informa qual o valor estimado da operação.

As ações da Comgás chegaram a recuar mais de 4% nesta manhã e, às 13h02, eram cotadas a 44,75 reais, em queda de 2,71%.