Projeção para o dólar sobe de R$ 2,60 para R$ 2,65

Na semana passada, o ponto central da pesquisa apontava uma cotação de R$ 2,60 e, há um mês, de R$ 2,55

Brasília – Após a garantia do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, de que continuará com a ração diária ao mercado por meio de leilões de swap cambial, a mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano está em R$ 2,65. Na semana passada, o ponto central da pesquisa apontava uma cotação de R$ 2,60 e, há um mês, de R$ 2,55.

As informações constam do Relatório de Mercado Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira, 22, pelo BC. No boletim, a projeção mediana para o câmbio médio deste ano permaneceu em R$ 2,36 como no levantamento anterior, nível levemente maior do que a cotação apontada um mês antes, de R$ 2,35.

Já para 2015, a cotação subiu de R$ 2,72 para R$ 2,75 de uma semana para outra – um mês antes estava em R$ 2,65. A mediana das expectativas para o dólar médio do ano que vem subiu de R$ 2,65 para R$ 2,69 agora. No levantamento de um mês atrás estava em R$ 2,60.

Balança comercial

Com pouco mais de uma semana de negócios pela frente na área comercial, a previsão para o saldo da balança em 2014 ficou negativa em US$ 1,86 bilhão. No levantamento anterior, se esperava um déficit de US$ 1,60 bilhão. Há um mês, a perspectiva, apesar de já muito fraca, ainda era positiva, de US$ 100 milhões. No caso de 2015, o resultado projetado pelos participantes segue no azul, mas foi reduzido de US$ 5,0 bilhões para US$ 4,83 bilhões. Um mês atrás, a projeção era de um saldo positivo de US$ 6,50 bilhões no ano que vem.

O mercado financeiro conta com um déficit em conta corrente em 2014 de US$ 86,00 bilhões. Na semana passada, a projeção era de um rombo de US$ 85 bilhões e, um mês atrás, de US$ 83 bilhões. Para 2015, a mediana das estimativas passou do patamar negativo de US$ 77,79 bilhões para US$ 77,00 bilhões no levantamento de hoje, mesmo nível de quatro semanas antes.

Para esses analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) será insuficiente para cobrir o rombo, já que a mediana das previsões para esse indicador segue em US$ 60,00 bilhões há 37 semanas para 2014. Para 2015, a mediana também está em US$ 60 bilhões ante US$ 58,20 bilhões da semana passada. Um mês antes estava em US$ 58 bilhões