Principais bolsas da Europa operam em alta

Enquanto as negociações europeias prosseguem, os dados da China e alertas sobre efeitos adversos do clima em colheitas estão no noticiário do dia

São Paulo – Os mercados ainda não têm um acordo sobre a dívida da Grécia, mas encaram um dia pesado. Enquanto as negociações europeias prosseguem, os dados da China e alertas sobre efeitos adversos do clima em colheitas estão no noticiário do dia. Na China, a inflação ao consumidor subiu 4,5% em janeiro, acima da alta prevista de 4,1%. O dado tem efeito de distorções associadas ao Ano Novo Lunar, mas a aceleração interrompeu uma sequência de cinco meses de queda e reduziu as expectativas de flexibilização da política econômica.

Na Europa, o Banco Central Europeu (BCE) reúne-se hoje e mesmo com a ausência de um desfecho para a crise grega não deve anunciar medidas anormais ou um corte do juro, que está em 1%. Já o Banco da Inglaterra (BOE, na sigla em inglês), que divulga, às 10 horas, suas decisões tomadas em encontro de dois dias, pode agir com a ampliação do programa de relaxamento quantitativo em mais 50 bilhões de libras.

Sem tirar a Grécia do radar, as bolsas europeias sobem e os índices futuros de Nova York apontam ganhos modestos. O euro voltou brevemente à casa do US$ 1,33. Às 8h55, Londres subia 0,25%, Paris (+0,39%) e Frankfurt (+0,54%).