Preços dos bancos médios são atraentes, mas prefira os grandes, sugere Itaú BBA

Banco de investimentos iniciou hoje a cobertura das ações do ABC Brasil, Daycoval e Bicbanco

São Paulo – O cenário parece perfeito e promissor, mas tem ressalvas. Os bancos de pequeno e médio porte do Brasil devem continuar a se expandir nos próximos anos, beneficiados pela baixa taxa de desemprego e uma tendência demográfica positiva. Contudo, caso a economia apresente sinais de desaceleração e a taxa de inadimplência aumente, o alerta vermelho deve acender.

A opinião é dos analistas Regina Sanchez, Thiago Batista e Alexandre Spada do Itaú BBA, que iniciou nesta quinta-feira (10) a cobertura das ações do setor. Esses bancos promovem empréstimos para pequenas e médias empresas (PMEs) e para pessoas físicas, através de crédito consignado e financiamento de veículos.

A recomendação para o ABC Brasil (ABCB4) e para o BICBANCO (BICB4) é outperform (performance acima da média do mercado). O preço-alvo atribuído para o final de 2011 é de 18 reais e 16 reais, respectivamente, com potenciais de valorização de 43% e 42%.

Já para o Daycoval (DAYC4) a classificação é market-perform (performance igual a média do mercado). O preço-alvo para a instituição financeira no fim deste ano é de 14 reais, o que representa um potencial de valorização de 19%.

Riscos

Apesar do cenário positivo para o setor, o Itaú BBA alerta para o segmento de financiamento de veículos de carros semi-novos e para os empréstimos para pessoas físicas. De acordo com os analistas, o elevado nível de inadimplência e as garantias ruins durante as crises econômicas são fatores de risco.

Entre outros listados pelo Itaú BBA, está a desaceleração da economia brasileira, que poderia aumentar o desemprego e, consequentemente, a taxa de inadimplência; as medidas adicionais macro prudenciais que poderiam elevar ainda mais os custos dos financiamentos; e a concorrência acirrada com grandes bancos em alguns segmentos.

Por conta disso, Sanchez, Batista e Spada preferem realizar suas apostas nos bancos com grande capitalização, não apenas pelos seus menores custos de financiamento, mas também pelas melhores redes de distribuição e perfil de baixo risco.

Ações

Segundo a equipe de pesquisas do Itaú BBA, os múltiplos definidos pelo P/L (preço sobre o lucro) do setor estão menores em comparação aos níveis históricos. “Considerando a evolução dos múltiplos desde os IPOs, os papéis do setor estão sendo negociados com um desconto de 18% frente a média dos múltiplos históricos”, avaliam os analistas.

Mesmo considerando o período pós-crise, o ABC Brasil e o BICBANCO estão sendo negociados abaixo da média histórica (19% e 21%, respectivamente), enquanto o Daycoval é cotado com um desconto de 3% frente a sua média histórica.

Atualmente, a média de múltiplos destes bancos de pequeno e médio porte está em linha com o Banco do Brasil que, por sua vez, possui o menor múltiplo definido pelo P/L entre as grandes instituições financeiras com grande capitalização de mercado.

Portfólio: O pré-IPO da Arezzo, o mais bem sucedido de 2011

Leia mais: 10 notícias para lidar com os mercados nesta quinta-feira