Positivo tem maior queda desde novembro após prejuízo trimestral

Ações chegaram a cair 7,54% depois do resultado negativo de R$ 33,7 milhões surpreender os analistas

São Paulo – A Positivo Informática SA, maior fabricante nacional de computadores, teve a maior baixa em quase seis meses após divulgar que o prejuízo do primeiro trimestre superou expectativas de analistas.

As ações caíam 6,7 por cento, cotadas a R$ 6,68, às 15:35. Mais cedo, chegou a recuar 7,54 por cento, na maior queda intradiária desde o dia 23 de novembro. O Ibovespa recuava 1 por cento, para 63.338 pontos no mesmo horário.

A Positivo teve prejuízo de R$ 33,7 milhões no primeiro trimestre, maior do que os R$ 12,8 milhões de perdas apontadas pela média das estimativas de três analistas consultados pela Bloomberg.

“A Positivo anunciou resultados muito fracos para o primeiro trimestre”, escreveram Luis Azevedo e Tales Freire, analistas da Bradesco Corretora, em uma nota a clientes. “Ficaram abaixo da nossa estimativa, que já era fraca, por causa dos volumes em queda, pressão de preços e menor diluição de custos fixos”, escreveram. O Bradesco projetava prejuízo de R$ 17,3 milhões.

O setor de informática brasileiro vem enfrentando uma queda na rentabilidade. O aumento da competição corroeu os preços dos equipamentos, disse a Positivo em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários.