Petrolíferas fazem índice recuar pelo 2o dia consecutivo

A ação ordinária da Petrobras desabou 8,29 por cento papéis da estatal trocaram de mãos mais de oito vezes a média diária

As petrolíferas levaram o principal índice da Bovespa ao vermelho pelo segundo pregão seguido nesta terça-feira, após a Petrobras ter anunciado mudanças na distribuição de dividendos, em meio a fracos resultados operacionais.

O Ibovespa recuou 0,22 por cento, a 59.444 pontos, na contramão das bolsas externas. O giro financeiro do pregão foi de 8,94 bilhões de reais, ante média diária de 7,3 bilhões de reais em 2013.

A ação ordinária da Petrobras liderou as perdas do índice, desabando 8,29 por cento, a 16,60 reais. Foi a maior queda diária da ação desde junho do ano passado, o que levou sua cotação para o menor patamar desde dezembro de 2005. Na mínima, a queda chegou a 9,17 por cento, a 16,44 reais.

Chamou atenção também o número de papéis da estatal que trocaram de mãos nesta sessão — cerca de 54 milhões, mais de oito vezes a média diária de 2012, segundo dados compilados pela Reuters.

Diante da necessidade de preservar caixa e manter investimentos, a estatal anunciou na noite da véspera dividendo de 0,47 real por ação ON e de 0,96 real por PN. Nos últimos anos, a empresa pagou o mesmo valor em remuneração aos acionistas de ambas as classes de papéis.

“Isso mostra de fato falta capacidade para a companhia conseguir entregar resultado e distribuir dividendo”, avaliou a equipe de análise da XP Investimentos.

Já a preferencial da Petrobras mostrou volatilidade durante a sessão, mas fechou em alta de 0,44 por cento, com operadores citando operações de troca de posição na empresa –investidores venderam papéis ON e compraram PN.


OGX, petrolífera do grupo de Eike Batista, caiu 6,22 por cento, a 3,77 reais, ampliando as fortes perdas recentes. Na véspera, a companhia desapontou o mercado ao anunciar produção abaixo da expectativa.

Ainda entre as blue chips, a preferencial da mineradora Vale fechou em queda de 1,68 por cento, a 38,10 reais.

O recuo do Ibovespa só não foi maior devido ao avanço de Itaú Unibanco e sua holding controladora Itaúsa , que subiram 2,52 e 2,24 por cento, respectivamente.

Apesar da queda no lucro líquido no quarto trimestre, o Itaú teve queda no índices de inadimplência e previu avanço de dois dígitos na carteira de crédito em 2013.

“A linha final (lucro) veio em linha com as expectativas, mas as tendências continuam a apontar numa direção positiva”, afirmaram analistas do Goldman Sachs em relatório.

No exterior, o dia era de recuperação. Em Wall Street, o índice Dow Jones subia 0,9 por cento, às 18h21 (horário de Brasília), enquanto o S&P 500 tinha alta de 1,2 por cento. Mais cedo, o principal índice europeu de ações fechou em alta de 0,31 por cento. (Por Danielle Assalve; Edição de Aluísio Alves)