Petróleo termina em alta em Nova York e recua em Londres

Os preços do barril de petróleo terminaram em leve alta nesta quinta-feira em Nova York, sustentados pela ameaça de uma tormenta tropical sobre a produção de hidrocarbonetos no Golfo do México. Já em Londres, o petróleo fechou o dia em baixa.

O barril de West Texas Intermediate (designação para o “light sweet crude” negociado nos EUA) para entrega em outubro terminou a 88,93 dólares no New York Mercantile Exchange (Nymex), em alta de 12 centavos em relação à quarta-feira. Ao longo da sessão, o WTI havia alcançado 89,90 dólares, seu nível mais alto desde 4 de agosto. A alta no fechamento só não foi maior devido à cautela dos investidores, à espera das cifras de emprego de agosto nos Estados Unidos, que devem ser divulgadas na sexta-feira.

No IntercontinentalExchange de Londres, o Brent do mar do Norte também para entrega em outubro recuou 56 centavos, a 114,29 dólares.

A atenção do mercado petroleiro se concentra no Golfo do México, onde algumas empresas evacuaram seus funcionários das plataformas petrolíferas devido à formação de uma nova tormenta na região, que produz um quarto do petróleo dos Estados Unidos.

“Isso afetou um pouco os preços”, resumiu Andy Lipow, da Lipow Oil Associates, dizendo que algumas companhias haviam começado a reduzir a produção de petróleo e gás.

“Contudo, é muito cedo para avaliar o volume afetado por essas medidas”, afirmou.

De todo modo, os operadores mantêm a prudência, à espera da publicação na sexta-feira dos dados de desemprego e da criação de postos de trabalho nos Estados Unidos em agosto, disse Lipow.

“Caso o número de empregos decepcione, a demanda de gasolina irá se estancar”, advertiu.

Os Estados Unidos são o maior consumidor mundial de petróleo e as flutuações na demanda americana de energia podem ter um forte impacto sobre os preços da commodity no mercado internacional.