Petróleo sobe em NY após dados positivos nos EUA

Nova York – Os contratos futuros de petróleo operam com movimentos limitados na manhã de hoje. Indicadores positivos nos EUA deram sustentação para os preços, mas as preocupações mais amplas com um possível rebaixamento dos ratings (classificação de risco) do país e com a questão das dívidas norte-americana e europeia mantêm os contratos sob pressão.

A queda de 22 mil pedidos de auxílio-desemprego, bem maior do que a de 3 mil prevista, e o inesperado aumento de 0,1% nas vendas no varejo dos EUA foram considerados sinais de melhora na economia norte-americana. No entanto, os dados dividem a atenção dos investidores com o anúncio da Moody’s, ontem, de que colocou o rating dos EUA em revisão para possível rebaixamento e com o impasse político sobre um acordo para o orçamento do país.

Em meio às preocupações, o maior consumidor de petróleo do mundo mostra sinais de desaceleração na demanda. Ontem o Departamento de Energia (DOE, na sigla em inglês) dos EUA informou que a demanda caiu para o menor nível em dois meses na semana até 8 de julho. O uso de gasolina foi o menor em oito anos para uma semana de feriado de 4 de julho e a demanda por combustível destilado recuou para uma mínima em 20 meses.

Às 10h50 (de Brasília), o petróleo WTI para agosto subia 0,66% na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), para US$ 98,70 por barril, enquanto o brent para agosto tinha leve alta de 0,02% na plataforma ICE, para US$ 118,80 por barril. As informações são da Dow Jones.