Petróleo sobe ante novos sinais de tensão na Ucrânia

Os preços acumularam queda na semana, em razão da baixa demanda global pela commodity

São Paulo – Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta sexta-feira, 15, após o governo da Ucrânia afirmar que destruiu parte do comboio de caminhões da Rússia que estava entrando no país.

No entanto, os preços acumularam queda na semana, em razão da baixa demanda global pela commodity.

Na Nymex, o petróleo para setembro subiu US$ 1,77 (1,9%), para US$ 97,35 por barril, enquanto o Brent para outubro negociado na ICE avançou US$ 1,46 (1,4%), para US$ 103,53 por barril.

Na semana, o petróleo da Nymex teve queda de 0,3% e o Brent recuou 2,0%.

A Rússia negou que seus veículos tenham sido atingidos pela artilharia ucraniana. De todo modo, as informações sobre os acontecimentos na fronteira da Ucrânia “colocaram um pouco de medo no mercado” hoje, comentou Tariq Zahir, diretor da Tyche Capital Advisors.

Os participantes do mercado de petróleo vêm acompanhando as tensões entre a Rússia e a Ucrânia há meses, em meio a receios de que as sanções impostas por países do Ocidente contra a Rússia possam interromper as exportações de petróleo do país, que são majoritariamente vendidas na Europa e na Ásia.

A Rússia é o segundo país que mais exporta petróleo no mundo. Até agora, porém, as sanções não afetaram a produção russa da commodity.

Fonte: Dow Jones Newswires.