Petróleo opera em direções divergentes

O Brent ganha sustentação de relatos de que a Opep pode reduzir a produção

Londres – Os contratos futuros de petróleo bruto operam em direções divergentes nesta quarta-feira, 17. O Brent ganha sustentação de relatos de que a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode reduzir a produção. Já a commodity negociada nos EUA cede terreno diante de perspectivas de oferta elevada e baixa demanda, após a divulgação de números sobre os estoques no país.

O secretário-geral da Opep, Abdallah el-Badri, disse, na terça-feira, 16, que espera que o grupo reduza a produção quando se reunir em novembro. Tal movimento poderia impulsionar os preços, visto que limitaria a quantidade de petróleo disponível para o mercado global. Além disso, as crises geopolíticas também acrescentaram prêmio de risco para a commodity.

O analista Andrey Kryuchenkov, da VTB Capital, apontou várias fontes de tensão, como a onda de violência na Líbia e uma greve na Nigéria.

Nos Estados Unidos, os contratos recuam após o American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) informou que os estoques norte-americanos de petróleo bruto tiveram um aumento de 3,3 milhões de barris na semana passada. Além disso, uma realização de lucros após ganhos na sessão de terça-feira acentua o movimento, enquanto os investidores esperam os números do Departamento de Energia (DoE) sobre estoques do país e a decisão de política monetária do Federal Reserve.

Às 8h05 (de Brasília), o Brent para novembro subia 0,17%, a US$ 99,19 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres, enquanto o petróleo para outubro negociado na Nymex cedia 0,22%, a US$ 94,66 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.